Insights Comportamento

Trabalhar em Casa: Eis a questão

Fabiana Gimenez, Talquimy*

Na quarentena, trabalhar em home office é uma alternativa que precisa ser organizada. Para uns, pode ser uma novidade e para outros, uma rotina profissional.

Atravessamos um período que nos exige resiliência, autocuidado e, sobretudo, equilíbrio emocional. Conciliar o trabalho com a vida pessoal pode ser um grande desafio e um bom jeito é aproveitar esse tempo em casa da melhor maneira possível.

A minha dinâmica de trabalho sempre foi a mesma. Acordar cedo, se preparar para sair, enfrentar o famoso trânsito de São Paulo e chegar sã e salva no escritório. Mas, nas últimas semanas, essa rotina mudou por completo e o primeiro passo foi aceitar a realidade e criar mecanismos para um estilo de vida que comporte o home office.

O cantinho do desempenho: Home Office exige disciplina! Há quem prefira cronogramas mais flexíveis ou à risca. Estabelecendo o seu, para que dê certo, é importante que o ambiente favoreça a concentração. Conte com uma boa conexão e outras ferramentas necessárias para realizar a sua função como se estivesse no seu escritório. Prazos, entregas, reuniões, entre outros compromissos são reflexo de um expediente cada vez mais fragmentado, portanto, ter uma lista de tarefas por ordem de importância diminuirá imprevistos e aumentará a sua produtividade.

Lembre-se, no home office também se trabalha em equipe e é importante ter em mente essa organização com os colegas. Procuro estabelecer contato, ter clareza na comunicação, alinhar entregas e agendar reuniões online para que eu possa interagir mais próxima do time. Acredito que essas são algumas garantias de sucesso entre líderes e liderados.

A minha dica é: foque na entrega, fuja das distrações, cafezinho é bom e eu gosto e respeite o horário de trabalho.

Caiu a caneta, e agora? Essa pergunta é dedicada aos solteiros, casados, pais. Seja qual for o seu status, ter uma separação clara do profissional e do pessoal permitirá cuidar melhor da sua mente e corpo. Olhar para si mesmo é uma maneira de proporcionar bem-estar, primar pela boa qualidade de vida e ainda controlar níveis de stress e ansiedade.

Tem dias que não dá vontade de fazer nada. Quando muito um brigadeiro e Netflix! E está tudo bem, afinal não está fácil nem para os animais de estimação.

Mas a quarentena também pode ser uma oportunidade para desenvolvermos talentos, habilidades e adquirir conhecimentos.

Nessa temporada de isolamento, o passatempo acontece de diversas formas virtuais: bate-papos, lives, tours de museus e exposições, podcasts, séries e cursos de qualificação. Com essa variedade, mergulhei em programas esportivos, conheci praticamente a Europa toda e estou expert na culinária, algo que nem imaginava fazer.

Quem aqui já não cantou pela telinha “Parabéns pra Você”, arrumou os armários ou organizou álbuns de fotos? Coisas que a quarentena, por um lado, nos permite resgatar memórias e antigos hábitos.

Continuando, praticar exercícios me ajuda a encarar o isolamento de forma mais leve e ainda a equilibrar a vida. Sem contar que suar a camisa traz uma série de benefícios. Adepta do ciclismo, estabeleci uma rotina de treinos indoor que me ajudam a manter a forma e me condicionam para futuras provas. A meta é, subir o pico do Jaraguá sem “sofrência” e quem sabe, um pedal até Aparecida.

Em tempos de pandemia, em que o profissional e pessoal andam juntos e misturados, o jeito é cuidar bem da sua saúde!

Veja outras relacionadas a esse assunto