Tão longe, tão perto

Leticia Lyra, Talquimy*

Quando a pandemia se instalou de vez no Brasil e tivemos que tomar as medidas de isolamento, muitas preocupações rolaram sobre o nosso negócio. Os clientes continuarão?, conseguiremos seguir adiante?, e, o mais importante, como vai ser para a equipe?

Somos uma agência pequena e gosto de ver que nos damos bem, tanto no trabalho quanto na diversão. São 15 pessoas realmente a fim de fazer acontecer, comprometidas com o seu trabalho e com o do outro, e quero acreditar que a nossa abordagem e esquema de trabalho facilitam ainda mais a colaboração.

O dia a dia é intenso e em muitos momentos é possível sentir a concentração geral. Às vezes, o único som é o nervoso dos teclados. Mas em tantas outras, papeamos, fofocamos sobre as celebridades, séries, piadas uns com os outros. Tudo é motivo pra uma festinha, de preferência com fantasia, e liberamos a cerveja porque é sexta, porque está calor, porque está chovendo (explicação de @Patricia), porque merecemos.

Rolou um certo medinho de que isso fosse perdido ao irmos todos para casa – isso porquê, na ocasião, achava que seria por cerca de um mês, imagine só. Sem contar que foi mesmo um pouco difícil adotar outra dinâmica de trabalho, o que fez parecer quase impossível mantermos a nossa ligação e os momentos de diversão. Mas rapidamente, @Raquel , nossa designer, deu a ideia de fazermos uma reunião semanal, talvez para falar de como o trabalho estava indo e não deixar a peteca cair.

Ideia dada, ideia aceita. Marcamos o nosso primeiro zoom semanal. E, talvez porque fosse sexta, demos o mesmo nome dos nossos happy hours – por aqui é Talquimy Time – ou porque estivéssemos estranhando o momento, ou porque estávamos carentes mesmo, não rolou muito trabalho, não. Conversamos, rimos, contamos coisas de casa, fofocamos sobre os vizinhos, falamos dos cabelos, da cozinha, e cada um tinha a sua bebidinha de preferência para acompanhar.

Aquilo foi demais. Um sentimento de que ainda estávamos unidos e preocupados uns com os outros. O afeto e companheirismo que vemos no escritório estavam ali também, à distância. Nessa hora, uma coisa ficou clara: íamos ter vários outros encontros durante a semana para falarmos de trabalho, não deixarmos de trocar e, sobretudo, ir além pelos nossos clientes. Mas as sextas já estavam reservadas para a diversão.

E assim tem sido, desde março. Nesse tempo, já rolaram quatro festinhas de aniversário, celebramos os 5 anos da Talquimy, já nos encontramos fantasiados, e um dia o @John tocou violão e cantou pra gente.

Aprendemos muito sobre trabalho à distância e como podemos ser eficientes e essenciais uns para os outros mesmo sem estarmos perto. Temos muita vontade de voltar para o nosso escritório, mas agora sabemos que só faremos isso quando todos nos sentirmos seguros e, ainda assim, com várias regras. Mas temos uma tranquilidade imensa em ver que conseguimos, juntos, fazer a Talquimy acontecer.

Sempre falo como eu tenho orgulho do que construímos. De termos feito o negócio virar, de entregarmos para os nossos clientes campanhas diferentes, criativas e de resultado, de como os clientes são parceiros e estão encarando esse momento conosco, aceitando novas ideias e mantendo a energia. Mas acho que, como sócia e gestora, a maior realização é termos conseguido juntar um grupo de profissionais que, além de competentes, são generosos, afetuosos, inteligentes, engraçados, e que relembram todos os dias que é o conjunto de tudo isso que faz uma empresa de verdade.

Veja outras relacionadas a esse assunto