É retrospectiva que fala?

O balanço do ano que chega ao fim mostra que as nossas conquistas são só o preparativo para que o vem pela frente.

Chegou aquele momento do ano em que a gente acha que o tempo voou; que a gente quer encontrar em duas semanas pessoas que não encontramos nos últimos 11 meses; que a gente se diverte com os memes dos micos que vamos pagar nas festas de família e confraternizações de trabalho; das resoluções que sabemos que não vamos cumprir… 

Mas claro que também é a hora de refletirmos sobre tudo o que foi feito, e a vida profissional ocupa um grande espaço nessa reflexão.

Desde que começamos a Talquimy, eu sinto que cada ano vale por cinco, tantas são as coisas que realizamos e que planejamos. 2019 vai ficar marcado na nossa história por muitos motivos; mas cinco deles certamente fizeram a diferença no nosso aprendizado:

1. Realidade Virtual/ Realidade Aumentada

Há não muito tempo RV/ RA pareciam incríveis, mas difíceis de encaixar na estratégia de comunicação; sem contar que demandaria grandes budgets e um sem-número de envolvidos para fazer a coisa acontecer.

Mas ou isso mudou muito rápido, ou fomos nós que perdemos o medo – ou um pouco dos dois. RV e RA fazem da experiência de marca um instrumento de venda, fidelização, inovação e real serviço para o cliente ou consumidor – e o que eles querem das marcas são soluções. 

2. Proteção de Dados

Seja por obrigatoriedade de lei, seja porque as pessoas exigem, ou simplesmente porque é a coisa certa a se fazer, vamos mudar a forma como levamos conteúdo para as audiências. Proteção de dados vai entrar no planejamento estratégico das marcas, pela perspectiva do negócio e da comunicação. Consentimento de uso da dados, interesses legítimos das marcas, conteúdo de interesse, ter a demanda e não simplesmente ofertar… tudo isso vale para campanhas de comunicação, que serão ainda mais completas e multidisciplinares.

3. Clientes buscam outro tipo de agência

É fato em diferentes mercados: clientes querem ser relevantes para suas agências, querem contar com consultores e querem agilidade. E eles não estão conseguindo isso nas grandes agências ou grupos. Seja porque eles se perdem em um mar de processos, ou não têm apoio sênior, ou não conseguem extrair o melhor da criatividade, agilidade e pensamento estratégico. As pequenas agências tornaram-se então pequenos oásis que atraem as empresas cada vez mais. Aqui e aqui tem mais sobre isso.

4. Parcerias internacionais

Pode parecer contraponto àquilo o item acima defende. Mas não é. Quem disse que somente grandes grupos podem ter presença internacional? Em 2019, a Talquimy realizou dois projetos muito bacanas com pequenas agências europeias e, em novembro, tornou-se membro-fundadora do FLUID, um coletivo global de profissionais e consultorias espalhados pelo mundo todo. Essas parcerias ajudam crescer o negócio e possibilitam trocas de expertise inestimáveis para as agências e, principalmente, para os clientes.

5. Tudo mudou de novo

A Talquimy começou em 2015 com grande vontade de fazer relações públicas e comunicação de forma diferente. Fico muito orgulhosa em ver que conseguimos. Mas como não perceber que o diferente de 2015 é o comum de hoje e que temos que mudar tudo de novo, e sempre? Temos que buscar mais conhecimento e sermos rápidos nas nossas decisões em investir em uma ou outra tendência, saber apresentar isso para os clientes e contribuir para que a equipe sempre caminhe a esses mesmos passos largos. 

No fim das contas, o ano voou e ao mesmo tempo comportou uma vida inteira. Nós fizemos tanto e aprendemos tanto, que eu gosto de pensar que o melhor de 2019 é que ele nos preparou para o que está por vir.

Veja outras relacionadas a esse assunto