Insight

Geração Y cresceu. E agora?

MILLENNIALS! Onde vivem? O que comem? Como se relacionam?

MILLENNIALS! Onde vivem? O que comem? Como se relacionam? Profissionais de diversas áreas passaram alguns bons anos estudando o comportamento desta geração, essas crianças e jovens com uma cabeça e atitude tão diferentes.

Só tem uma coisa: eles já não são mais tão crianças assim. Nascidos entre 1980 e 1995, os primeiros millenials já têm – OMG! – 37 anos.

E então, começaram outros estudos. Qual é o comportamento de consumo desses adultos da Geração Y? Afinal, eles representam 20% da população mundial e estão aí trabalhando, construindo famílias e tomando decisões de compra. Uma pesquisa do Google diz que cerca de 83% das mães de primeira viagem são millenials e que estes dois termos (‘mães’ e ‘millenials’) já estão se tornando sinônimos para vários estudiosos. Em 2004 foram registradas 20 milhões de buscas relacionadas à maternidade; em 2016, esse número pulou para 100 milhões – o que faz total sentido, já que essa geração não desconecta nunca.

No Brasil, segundo o IBGE, são mais de 58 milhões de pessoas nessa faixa. E no geral, seu comportamento de consumo é bem parecido com o de quando eram adolescentes: são super conectados – cresceram com a tecnologia, praticamente precisam dela para respirar – precisam de identificação clara para se conectar a uma marca, buscam propósito no que fazem e consomem, e confiam muito mais na opinião de pessoas comuns do que em publicidade ou statements.

É por isso que as marcas precisam se comportar dessa maneira para atrair esse novo consumidor. Continuar fazendo comunicação do passado é caminho certo para o esquecimento. Tem que diversificar, abrir os horizontes e, sobretudo, deixar alguns conceitos para trás.

O Rio Quente Resorts queria ampliar seu alcance e deixar a fama de lugar tradicional, para ser escolha também das novas famílias. E conseguiu ver como a mudança de comunicação, diversificando plataformas e investindo mais no social e digital fez a diferença. Redes sociais, conteúdo digital e uma rede crescente de influenciadores estão cada vez mais levando essa Geração Y – e seus filhinhos, da Geração Z – para conhecer as delícias do Cerrado brasileiro.