Insight

O "Era uma vez..." tem que ser de verdade

Quando uma marca traz personagens para contar suas histórias, não pode ter faz de conta; autenticidade é a palavra de ordem

Desde que a propaganda é propaganda, marcas usam personagens para representá-las, sendo eles uma criação ou pessoas “de verdade”, admiradas pela opinião pública. De uma forma ou de outra, o garoto-propaganda sempre é alguém simpático – basta lembrar do Garoto Bombril, representado por mais de 20 anos por Carlos Moreno. O personagem tímido buscava romper com a maneira arrogante que a propaganda se dirigia à mulher na época.

O recurso de humanizar a marca por meio de alguém que a represente é ainda muito usado. Afinal, funciona. O ponto é que, de um tempo pra cá, os consumidores se tornaram uma audiência crítica e apenas simpatia já não faz mais verão, como fazia nos tempos do famoso “baixinho da Kaiser”. Agora, além de bom preço, produtos de qualidade e uma imagem simpática, as pessoas querem autenticidade.

Foi com esse pensamento que nasceu o Além da Beleza, projeto de conteúdo e relacionamento sob medida para a Allergan. A dona das marcas Botox®, Juvéderm® e Natrelle• convida mulheres a compartilharem histórias de autonomia e empoderamento feminino. Momentos de coragem, decisão, determinação que mudaram vidas são narrados em primeira pessoa por “gente como a gente”, gerando conexão e valor de marca.